terça-feira, 26 de julho de 2011

Afinal não o Stok Kangri não será para já...

Amigos,
Devido a uma excelente proposta, não irei ao Stok Kangri este ano.
Em vez disso, em Novembro/ Dezembro irei ao Imja Tse, ou Island Peak, como é também conhecido.
Um novo pico, um novo blog... A descobrir em http://tockandarnoimjatse.blogspot.com/

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Tockandar no Stok Kangri… Parte II

É verdade!!

O nosso amigo Jorge Ribeiro vai voltar à Índia para tentar subir o Stok Kangri, depois de os trágicos acontecimentos do ano passado em Leh não terem proporcionado condições de segurança para a expedição avançar, este ano, volta-se a tentar!!

Em breve haverá mais notícias…

Até lá, tockandar!!

sábado, 2 de abril de 2011

A aventura continua... Desta vez, no Toubkal!!

Olá!!

É tal como diz o título... A aventura continua no Toubkal, desta vez com mais 10 amigos!!
Espreitem tudo em http://tockandarnotoubkal.blogspot.com/

Abraço de cume!! :)

domingo, 15 de agosto de 2010

Uma nova aventura... Um novo blog

Olá Amigos.

Por uma questão de coerência, e visto que a expedição ao Stok Kangri deu origem a uma nova aventura pela Índia, criou-se um novo blog.

O endereço deste novo blog é o seguinte:
http://umanovaaventuranaindia.blogspot.com/

Abraços sorridentes e tockaseguir o novo blog!!

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Jorge Ribeiro na imprensa

Olá novamente.

Poderão encontrar a notícia anterior em alguns sites.
Deixo aqui o link para alguns deles, que entretanto encontrei:
Tockandar!!!

Jorge Ribeiro em notícia da Agência Lusa, por Marta Clemente

Olá Amigos.

Recebi há pouco um email da jornalista Marta Clemente, da Agência Lusa, que autorizou a divulgar neste blog uma notícia desta agência, que irá ser publicada em vários jornais, revistas, sites, rádios e televisões, seus clientes.

Aqui fica a notícia:

Lisboa, 12 ago (Lusa) - Um mar de lama, casas soterradas e filas de quilómetros de pessoas a fugir calmamente da zona de catástrofe foi o cenário que Jorge Ribeiro encontrou em Leh, Ladakh, norte da Índia, cidade fustigada pelas inundações, que já mataram 183 pessoas.


Com o objetivo de fazer montanhismo, Jorge Ribeiro e uma colega portuguesa chegaram à capital de Ladakh a 04 de agosto.

“Fomos subir a um mosteiro tibetano e quando chegámos lá acima reparámos que de norte estava um céu com as nuvens muito carregadas. Fizemos a leitura do cenário: a chuva viria aí e viria rápido. Os guias mais experientes tinham a mesma opinião e resolvemos descer rapidamente”, contou o português à Lusa.

Depois de um dia inteiro a chover, a noite “foi terrível, iluminada com chuva e relâmpagos, sem luz e sem telefone”.

“Os locais estavam em pânico. Mesmo os mais velhos nunca tinham visto um temporal assim”, relatou.

No dia seguinte, quando foi à zona mais atingida, o português viu “um mar de lama, as casas soterradas e destruídas”.

“As casas não estão preparadas. São feitas de pedra sob pedra e não têm cimento. Qualquer chuva leva aquilo e é evidente que não chove em Leh há muitos anos e não chove em Leh daquela maneira há muitíssimos anos”, afirmou.

Jorge Ribeiro atribui a catástrofe em Leh às alterações climáticas. “A zona é fria. Com o aquecimento global e com estas modificação climática, há uma temperatura excessiva em Leh que faz com que a chuva não caia sob a forma de neve, mas sob a forma de água”, afirmou.

Na noite seguinte, o cenário repetiu-se mas atingiu a zona onde os militares montaram tendas de campanha para abrigar os desalojados.

“Veio a enxurrada outra vez e terá levado milhares de pessoas por aí abaixo. As árvores foram arrastadas pelo mar de lama”, afirmou.

Jorge Ribeiro disse ainda que o cenário na cidade era de “quilómetros e quilómetros de gente a fugir calmamente da zona de catástrofe e a procurar abrigo na montanha”.

“A enxurrada cortou as vias de comunicação, as pontes foram destruídas, as estradas invadidas por lama e nós tentámos subir à montanha, mas não havia caminho. Isso significava que as expedições que estavam na montanha, cerca de 18, não conseguiam voltar para trás”, acrescentou.

Jorge Ribeiro e a sua colega conseguiram sair de Leh na madrugada de segunda feira, quando o aeroporto reabriu.

“Fomos dos primeiros a sair”, disse o português, sublinhando a ajuda do seu guia de viagem, “uma pessoa muito influente na sociedade de Leh”.

Para trás deixaram, no hospital de Leh, os antibióticos e analgésicos que levaram na viagem para ajudar as vítimas da tempestade.

Jorge Ribeiro destacou ainda o trabalho de entreajuda de locais e estrangeiros e a solidariedade dos indianos para com os turistas, apesar da catástrofe.

“O povo só chora quando confrontado com morte de parente. Passado um bocado já está a tirar pedras para resgatar outro cadáver e a ajudar estrangeiros. Quando as comunicações foram reatadas davam-nos o telemóvel para fazermos chamadas”, destacou.

Pelo menos 183 pessoas morreram e centenas ficaram feridas devido às inundações causadas pelas fortes chuvas na cidade de Leh.

O Ladakh é uma região montanhosa de maioria budista situada no sudeste da Caxemira indiana, de maioria muçulmana, que atrai muitos turistas, em particular no mês de agosto, o pico da estação turística na região.




MCL.



*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico **



Lusa/fim»

Jorge Ribeiro no jornal O Público

Olá Amigos!!

Nos últimos 2 dias tem havido alguns contactos de jornalistas a pedirem a história do Jorge e os seus comentários sobre a tragédia ocorrida em Leh.

No seguimento destes contactos, saiu hoje um artigo no jornal "O Público", páginas 8 e 9 do Caderno P2.
O mesmo artigo pode ser lido online carregando neste link.

Tockaler e tockandar!!!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

De Dehli... A nova Expedição...

Amigos e Familia,
 
Depois de jantar, quando todos já se foram deitar fico por aqui convosco, partilhando as memórias de mais um dia.
Foi um dia especial, um dia de viragem nesta viagem de aventura.
 
Para os 14 expedicionários, 8 para o Stok Kangri e 6 para o Pico Sem Nome, foi o regresso a Delhi, deixando para trás em Leh, cerca de 1500 turistas, tendo saído ontem, ao longo de todo o dia, cerca de 1300.
E nas diferentes expedições ainda estarão cerca de 800 homens e mulheres naquelas lindas montanhas à espera de poderem ser resgatados... Um drama.
 
Leh ficou sem centrais hidroelétricas, sem telefones e sem energia...
Sem terras, sem árvores, sem legumes.
A lama levou tudo.
Mas aquele povo já recomeçou a Vida e vai conseguir voltar a sobreviver nas duras condições da vida a mais de 3500 m de altitude.
 
Ontem esboçámos programas alternativos.
Luis e Julio vão para Katmandu.
Xavier, Lola, Kike, e Wendi regressam a casa.
Angel vai para uma zona de praias bonitas e fazer rafting.
Eu, Cristina, Carmen, Rafael e Susana ficamos num programa de 9 dias repartidos por Agra e Jaipur... E por um mergulho no Rajaquistão, de que vos darei conta num proximo post.
 
E assim a aventura se mantem viva.
Na vida, aprendemos que cada situação nova, e aparentemente má, pode ser uma nova oportunidade que não devemos desperdiçar.
O Stok Kangri ficou à nossa espera. A sorrir...
E cada cepa, mesmo que cortada, fica sempre a sonhar e a gerar novas vindimas, como dizia Torga.
A cepa cortada continua a alimentar novos sonhos... E a vida é feita de Sonhos.
 
Vou agora dormir, a sorrir, cheio de vontade de sonhar com o que está para vir. 
E o melhor é mesmo... o que esta para vir!
 
A próxima bandeira a ser desfraldada será a dos Amigos do Trilho!!!!
Em breve estará neste blog.
 
Abraço-vos com o melhor de mim. A sorrir.
 
Jorge 
PS: Mensagem enviada às 05h09 (hora Portuguesa)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Novidades de Deli!!

Olá Amigos.

Estive há pouco em contacto com o Jorge e ele pediu-me que vos aguçasse o apetite com algumas novidades!!

Porque depois da Tempestade, sempre vem a Bonança... E porque tudo acontece por um Motivo...
A ideia neste momento é que esta Expedição ao Stok Kangri se transforme numa Viagem pela Índia...

E a Aventura continua...

Para já, algumas das apostas certas passam por Agra (Taj-Mahal) e Jaipur...
Mas há mais propostas na mesa...

Amanhã, o Jorge deixará mais novidades... Mas entretanto, de barriguinha cheia, já foi viajar para o País dos Sonhos, recompor-se do atribulado fim-de-semana...

Tockasonhar!!!

Actualização de posts com fotos

Olá Amigos.

O Jorge pediu-me que actualizasse os posts com algumas fotos.
Os posts actualizados são os seguintes:

http://tockandarnostokkangri.blogspot.com/2010/08/noticias-de-leh_08.html
Onde coloquei a foto do abastecimento de água em Leh.

http://tockandarnostokkangri.blogspot.com/2010/08/mosteiro-de-spituk.html
Onde coloquei as fotos do Jorge com os monges.

http://tockandarnostokkangri.blogspot.com/2010/08/cheguei-aos-himalaias.html
Aqui coloquei as fotos referentes ao Memorial a Ghandi e à Tumba de Safdarjang.

Espero que gostem e Tockandar!!

Em Dehli

Queridos Amigos e Família !!!

Como tinha prometido aqui estou a escrever-vos... de Dehli!!!!
Foi uma saída em que a ajuda do nosso Guia local foi fundamental!!
Sem ele, ainda estaríamos à espera nas longas filas do aeroporto de Leh.

Ontem tivemos conhecimento de que a Embaixada Espanhola estava a fretar voos para retirar os seus nacionais.
De qualquer modo o nosso Guia local - Phunchok, junto com Kike e Wendi (os guias da agência de viagens Sanga que está a organizar esta expedição) mesmo antes do apoio da Embaixada Espanhola aos nacionais de Espanha, já tinham tratado da nossa vinda, mesmo sem ajudas.

E hoje deixei Leh, com alguma mágoa por deixar aquela gente que tão bem me tratou.
Phunchok abraçou-me e colocou-me ao pescoço uma CATA, a desejar-me a maior sorte e felicidade do mundo.
Fiquei comovido com o seu gesto... Guardarei esta Cata para sempre.

Depois, foi a emoção do embarque, com gente a conseguir vir e muita gente a não conseguir sair...
São os dramas que acontecem nestas situações...

Mas o maior drama, e esse sim adequado a esse nome, é mesmo o povo de Leh - Ladakh, que sofreram milhares de mortos e continuam a preocupar-se com os Outros, com as suas visitas, que, tantas vezes, nem sequer estão à altura dos nobres gestos deste povo.

Cheguei a Dehli depois de me despedir daquelas gentes.
Da janela do avião (todos nós, os 14 vínhamos nas janelas do avião porque o Phunchok disso tratou. Mais um gesto lindo deste Homem de alma imensa.

Já depois de chegar a Dehli, recebi um agradável telefonema da Embaixada de Portugal na Índia.
Foram muito simpáticos comigo.
A lista da embaixada espanhola que assinámos, e em que colocamos os nossos nomes, não fora partilhada pela embaixada de espanha com a nossa embaixada.
Uma tristeza este comportamento da Embaixada de Espanha, que aqui me abstenho de comentar.

Quero deixar o meu obrigado à Embaixada de Portugal, à Sanga e aos nossos Guias, por nos terem trazido para Dehli nos primeiros aviões que trouxeram pessoas de Leh.
Fomos um privilegiados relativamente a todos os outros.
Bem-hajam!

E em Dehli, voltei ao conforto... Estamos no mesmo Hotel de 5 estrelas, o Hotel Ashok.
E antes de ir para uma reunião que temos marcada, vim ate vós para vos contar estas novidades e para partilhar algumas fotos convosco, quase em directo.
Voltarei mais logo, com histórias e projectos para concretizar nos dias que faltam até ao fim da expedição.

Abraço-vos a sorrir...
Cheio do vosso apoio e solidariedade que tanto me fazem sentir pleno.

Jorge 

O Jorge já chegou a Nova Deli!!!

Olá Amigos!!

Acabo de receber o seguinte sms do Jorge, às 10h00 (hora portuguesa):

«Bom dia!! Alegria!! Tou em Deli. A sorrir.»

Portanto, já conseguiram sair de Leh e estão em Deli.

Assim que tenha mais notícias, actualizarei o blog.

Tockandar!!! Tockasorrir!!!

O Jorge vem a caminho de Nova Deli

Olá Amigos!

Recebi hoje, às 06h07 da manhã (hora portuguesa) um email do hotel onde o Jorge estava hospedado em Leh a informar que ele já tinha deixado o hotel e apanhado o avião para Nova Deli.
Já é um bom começo de dia!!

A partir de Deli, eles traçarão um novo plano e verão o que fará mais sentido...
Se voltar de imediato, ou explorar algo mais da Índia.

Assim que tiver notícias, irei informando.

Até lá, como sempre... Tockandar!!!